Fundo DGJ4 - Direção Geral da Justiça

Zona de identificação

Código de referência

PT /AHMJ/SGMJ/ DGJ4

Título

Direção Geral da Justiça

Data(s)

  • 1927 - 1974 (Produção)

Nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte

163 maços; papel

Zona do contexto

Nome do produtor

( 1927 - 1974 )

História administrativa


As funções de coordenação e apoio técnico administrativo, tanto no Ministério dos Negócios Eclesiásticos e de Justiça como no Ministério da Justiça e dos Cultos foram exercidas, entre 1859 e 1933, por uma direção ou repartição central, exceptuando-se o período de 1914 a 1918 em que tal repartição não existiu.
Com a reorganização operada pelo Decreto nº 22708, de 20 de junho de 1933, foi adotada a nomenclatura que ainda prevalece atualmente tendo sido criados os seguintes órgãos e serviços: Gabinete do Ministro, Secretaria Geral, Direção Geral dos Serviços Centrais da Justiça e dos Cultos, Direção dos Serviços Externos de Justiça, Direção Geral dos Serviços Prisionais, Direção Geral dos Serviços Jurisdicionais de Menores e o Conselho Superior dos Serviços Criminais. Em 1935, o Decreto nº 26156, de 26 de Dezembro, extinguiu a Direção Geral dos Serviços Centrais da Justiça e dos Cultos ficando as respetivas atribuições integradas na Direção Geral dos Serviços Externos de Justiça que passou a denominar-se Direção Geral da Justiça.
O Decreto-lei nº 40 737, de 24 de agosto de 1956, introduziu alterações relativas à organização dos serviços do Gabinete do Ministro, da Secretaria Geral do Ministério e da Direção Geral da Justiça e o Decreto nº 40 738, da mesma data, aprovou os respetivos regulamentos. Em 1972, o Decreto-lei nº 523/72, de 19 de dezembro aprovou a lei orgânica do Ministério da Justiça e, no ano seguinte, o Decreto-lei nº 196/73, de 19 de Dezembro, aprovou os regulamentos do Gabinete do Ministro e da Secretaria Geral. Com a publicação do Decreto-lei nº 200/76, de 19 de Março, foram introduzidas algumas alterações na orgânica da Secretaria Geral do Ministério da Justiça.
No período em apreço, 1933 - 1974, o lugar de Secretário Geral era «inerente ao de Diretor Geral dos Serviços Centrais da Justiça e dos Cultos» (artº 34º do Decreto nº 22708) «e, depois, ao Diretor Geral da Justiça» (artº 20º do Decreto nº 40738) e, posteriormente, com a reorganização dos serviços do Ministério da Justiça, operada pelo já citado Decreto-lei nº 523/72, o mesmo lugar era desempenhado pelo Diretor Geral dos Serviços Judiciários (nº 2 do artº 5º).
De acordo com o disposto nos referidos diplomas legais a execução das «atribuições privativas» da Secretaria Geral competia à Direção Geral dos Serviços Centrais da Justiça e dos Cultos (artº 3º do Decreto nº 22708) / Direção Geral da Justiça (artº 2º do Decreto-Lei nº 40737 e artº 6º do Decreto nº 40738) / Direção Geral dos Serviços Judiciários, já que a Secretaria Geral não dispunha de pessoal próprio.

Nome do produtor

História biográfica

As funções de coordenação e apoio técnico administrativo, tanto no Ministério dos Negócios Eclesiásticos e de Justiça como no Ministério da Justiça e dos Cultos foram exercidas, entre 1859 e 1933, por uma direção ou repartição central, exceptuando-se o período de 1914 a 1918 em que tal repartição não existiu.
Com a reorganização operada pelo Decreto nº 22708, de 20 de junho de 1933, foi adotada a nomenclatura que ainda prevalece atualmente tendo sido criados os seguintes órgãos e serviços: Gabinete do Ministro, Secretaria Geral, Direção Geral dos Serviços Centrais da Justiça e dos Cultos, Direção dos Serviços Externos de Justiça, Direção Geral dos Serviços Prisionais, Direção Geral dos Serviços Jurisdicionais de Menores e o Conselho Superior dos Serviços Criminais. Em 1935, o Decreto nº 26156, de 26 de Dezembro, extinguiu a Direção Geral dos Serviços Centrais da Justiça e dos Cultos ficando as respetivas atribuições integradas na Direção Geral dos Serviços Externos de Justiça que passou a denominar-se Direção Geral da Justiça.
O Decreto-lei nº 40 737, de 24 de agosto de 1956, introduziu alterações relativas à organização dos serviços do Gabinete do Ministro, da Secretaria Geral do Ministério e da Direção Geral da Justiça e o Decreto nº 40 738, da mesma data, aprovou os respetivos regulamentos. Em 1972, o Decreto-lei nº 523/72, de 19 de dezembro aprovou a lei orgânica do Ministério da Justiça e, no ano seguinte, o Decreto-lei nº 196/73, de 19 de Dezembro, aprovou os regulamentos do Gabinete do Ministro e da Secretaria Geral. Com a publicação do Decreto-lei nº 200/76, de 19 de Março, foram introduzidas algumas alterações na orgânica da Secretaria Geral do Ministério da Justiça.
No período em apreço, 1933 - 1974, o lugar de Secretário Geral era «inerente ao de Diretor Geral dos Serviços Centrais da Justiça e dos Cultos» (artº 34º do Decreto nº 22708) «e, depois, ao Diretor Geral da Justiça» (artº 20º do Decreto nº 40738) e, posteriormente, com a reorganização dos serviços do Ministério da Justiça, operada pelo já citado Decreto-lei nº 523/72, o mesmo lugar era desempenhado pelo Diretor Geral dos Serviços Judiciários (nº 2 do artº 5º).
De acordo com o disposto nos referidos diplomas legais a execução das «atribuições privativas» da Secretaria Geral competia à Direção Geral dos Serviços Centrais da Justiça e dos Cultos (artº 3º do Decreto nº 22708) / Direção Geral da Justiça (artº 2º do Decreto-Lei nº 40737 e artº 6º do Decreto nº 40738) / Direção Geral dos Serviços Judiciários, já que a Secretaria Geral não dispunha de pessoal próprio.

História do arquivo

Fonte imediata de aquisição ou transferência

Incorporação

Zona do conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de organização

Zona de condições de acesso e utilização

Condições de acesso

Condiçoes de reprodução

Idioma do material

  • português

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Zona de documentação associada

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Zona das notas

Identificador(es) alternativo(s)

Pontos de acesso

Pontos de acesso - Assuntos

Pontos de acesso - Locais

Pontos de acesso - Nomes

Pontos de acesso de género

Zona do controlo da descrição

Identificador da descrição

direcao-geral-da-justica-secretaria-geral-2

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

ISAD(G): Orientações para a descrição arquivística. 2ª versão, Lisboa, DGARQ, 2007

Estatuto

Nível de detalhe

Datas de criação, revisão, eliminação

Criado em 2021

Línguas e escritas

  • português

Script(s)

Fontes

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Géneros relacionados

Locais relacionados