Fundo FAN - Fundo Azevedo Neves

Zona de identificação

Código de referência

PT AHMJ/INMLCF/ FAN

Título

Fundo Azevedo Neves

Data(s)

  • 1911-1947 (Produção)

Nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte

27 UI

Zona do contexto

Nome do produtor

História biográfica

João Alberto Pereira de Azevedo Neves, também conhecido por Professor Azevedo Neves nasceu em Angra do Heroísmo, a 12 de maio de 1877, filho adotivo de João Albertino da Silva Pereira e de Margarida Rosa da Silva Neves. Morreu em Lisboa, a 14 de abril de 1955.
Após a conclusão dos estudos preparatórios, alistou-se em 27 de outubro de 1897 no Batalhão de Caçadores das Caldas da Rainha e serviu na reserva territorial como médico miliciano até 1909, sendo promovido sucessivamente até Major em 1921.
Matricula-se na Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa, atualmente Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa onde se formou a 24 de abril de 1901 com uma tese de licenciatura intitulada “Contribuições para o Estudo do Ovário”. A investigação e a formação na área Anatomia Patológica eram escassas, o que faz da tese apresentada prenúncio de uma nova visão.
Seguindo a sua vocação no estudo da Anatomia Patológica, em 1901 fez parte da sua formação em Berlim com Virchow e Von Hansermann. No ano seguinte, é convidado por Curry Cabral então enfermeiro-mor do Hospital de São José para dirigir o Laboratório d’Analyse Clínica, cargo que ocupa quando regressa a Portugal, sendo o responsável pela instalação do laboratório de análises clínicas, cuja primeira secção seria a de Anatomia Patológica naquele hospital, inaugurada em 1902.
No ensino, entre 1903 e 1910 durante a regência de Custódio Cabeça começou por ser encarregado dos trabalhos práticos de Anatomia Patológica e das preparações histológicas para o curso, dando início a um novo modelo pedagógico focado em aulas práticas.
Inicialmente vocacionado para se dedicar à Anatomia Patológica, a oportunidade de ingressar na Escola Médica, fê-lo optar pela Medicina Legal, cadeira vaga pela jubilação de Silva Amado. Assim, em 1911 torna-se catedrático de Medicina Legal e Diretor da Morgue de Lisboa.
Numa atividade de mais de 30 anos consegue colocar a Medicina Legal numa situação de grande prestígio nacional e internacional.
Para além da sua dedicação à Medicina Legal, deu também particular contributo à vida pública e política da época.
Como progressista foi eleito deputado em 1905 pelo círculo de Santiago de Cabo Verde (juramento 16 agosto de 1905).
Pertenceu à Maçonaria, tendo sido iniciado em 1911 no Triângulo nº 159 (Amadora) com o nome Justitia, mas manteve-se sempre fiel aos ideais monárquicos.
A 8 de outubro de 1918 ingressa no 13º Governo da República, chefiado por Sidónio Pais, como Secretário de Estado do Comércio. Manteve-se no cargo após o assassinato de Sidónio Pais, como Ministro do Comércio do governo chefiado por Tamagnini Barbosa, o 14ª Governo da República de 23 de dezembro de 1918 a 27 janeiro de 1919. Também, neste período assume interinamente a pasta dos Negócios Estrangeiros dada a ausência de Egas Moniz, então Ministro dos Negócios Estrangeiros.
Enquanto Ministro do Comércio reestruturou o ensino comercial, e da sua reforma resultou a consolidação das escolas comerciais e industriais criando condições para a sua evolução.
Na sua atividade pública colaborou com diversas instituições e entidades, das quais se destacam as seguintes: Presidente da Academia das Ciências de Lisboa, Vereador da Câmara Municipal de Lisboa, primeiro Reitor da Universidade Técnica de Lisboa, Vogal do Conselho Superior de Instrução Pública, Membro da Comissão Permanente do Tráfico do Ópio e outros Estupefacientes, Presidente da Sociedade de Ciências Médicas, Membro da Comissão de Medicina Legal na Sociedade de Ciências Médicas de Lisboa, Presidente da Comissão Insular da Sociedade de Geografia de Lisboa, Presidente da Direção do Grémio dos Açores, Secretário da Comissão Portuguesa do Cancro, Vogal da Comissão do Turismo, Rotary Club, Membro da Administração da Companhia Portuguesa de Tabaco, entre outros.
Pela sua dedicação ao ensino a 2 de junho de 1938 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem da Instrução Pública.
A sua atividade exercida com diversas facetas com as de professor, médico legista, escritor, ensaísta, conferencista e político, traduziu-se numa vasta e valiosa obra escrita, que engloba 112 títulos. É considerado pioneiro na Medicina Legal, na luta contra o cancro em Portugal e no ensino técnico-profissional.

História do arquivo

Fonte imediata de aquisição ou transferência

Zona do conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de organização

Zona de condições de acesso e utilização

Condições de acesso

Condiçoes de reprodução

Idioma do material

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Zona de documentação associada

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Zona das notas

Identificador(es) alternativo(s)

Pontos de acesso

Pontos de acesso - Assuntos

Pontos de acesso - Locais

Pontos de acesso - Nomes

Pontos de acesso de género

Zona do controlo da descrição

Identificador da descrição

kmby-cs6w-snq7

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Estatuto

Nível de detalhe

Datas de criação, revisão, eliminação

2020-11-16

Línguas e escritas

  • português

Script(s)

Fontes

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Géneros relacionados

Locais relacionados